23 de jan de 2011

Desperdiçamos o tempo como se ele fosse infinito
Desperdiçamos os momentos, como se fosse possível voltar e mudar
Desperdiçamos atitudes, como se fosse possível torna-las a serem feitas depois
Desperdiçamos palavras, como se ninguém ficasse mal com ou mesmo sem elas
Desperdício que não se acaba mais.
Como se tudo pudesse ser voltado mudado.