3 de out de 2010

Amanhecer


Uma noite fria
Escura e sombria
Onde mascaras se escondem
E as faces se tornam nuas ao luar.
Tudo tão belo,
Tão fascinante

Aos poucos, uma claridade surge
Tão lentamente...
E inocentemente vai acabando com o banho de lua
E trás junto todas as vidas,
As mascaras e as pessoas.

O que antes era quieto e solitário
Agora já é barulhento e cheio
Cheio de uma vida chata
Que a noite simplesmente esconde.