13 de fev de 2010

Hoje mais do que nunca eu me sinto sozinha, me sinto uma pessoa em meio a tante gente. E isso me da medo, medo de acabar sem amigos, acabar triste e muito solitaria.
Ja tentei conversar, tentei puxar assunto até com aqueles que não fazem diferença alguma na minha vida, e eu percebi que é quando mais precisamos que as pessoas fogem, que elas parecem não se importar com a nossa tristeza e sim com suas próprias vidas e alegrias. É aí que como sempre eu me pergunto: Como posso viver tão rodeada de gente quando faço festas, quando brinco e estou sorrindo, se agora que é quando eu mais preciso não tenho ninguém?
Chega ser ridiculo eu me importar tanto e me abalar tanto com as pessoas que quando eu preciso me viram as costas. A culpa não é delas, eu sei disso, elas tem suas próprias preocupações, suas vidas; e a minha, é minha, de mais ninguém.
A questão é : Como eu faço para tirar de mim esse vazio, esse sentimento de impotencia diante de uma vida que deveria ser vivida, e não tem sido?
Todos os dias o que eu mais penso é : Aonde estará o meu amor? Um amor que não conheço e que talvez nunca tenha visto, mas um amor que poderia agora me tirar do chão e me fazer ver que a vida não é tão ruim quanto parece agora.
Nem a própria solidão deve se sentir tão sozinha quanto eu estou, o coração aperta e está me fazendo sufocar, minha alma tem morrido um dia de cada vez...
É, meu amigo, precizamos tomar cuidado com as atitudes, cuidado para não virar as costas para quem lhe estendeu a mão, porque quem hoje está feliz e tem pessoas ao redor, amanhã pode estar sozinho, lamentando o dia que teve um amor e o deixou passar, chorando a vida que podia ter sido e não foi.
Solidão nunca está sozinha, ela sempre vem acompanhada de uma dor agoniante que te faz confessar até os maiores pecados por um pouco de paz...